Numerologia, Ocultismo e Artes Divinatórias

Reconstituição de desenho de um manuscrito do século XV. The British Library Há uma evidente proximidade entre adivinhação (ou divinação) como arte de predizer o futuro ou antevê-lo, e divino, isto é, relativo a Deus e ao sobrenatural. Desde sempre que o Homem procurou respostas para as suas angústias no sentido oculto que julga entrever nas coisas. As várias mitologias mais não são, muitas vezes, do que interpretações humanizadas dos fenómenos naturais e uma consequente extracção de lições, éticas, orientações para a vida prática de todos os dias, de forma a moralizar as relações humanas e estabelecer padrões de conduta social.
A Astrologia surgiu há cerca de 5 mil anos atrás nas primeiras sociedades urbanas, cuja principal actividade económica, a Agricultura, dependia quase inteiramente dos factores naturais. Predizer, através do estudo das conjunções astrais, as melhores épocas das sementeiras e das colheitas, era, assim, absolutamente indispensável. Não por acaso, cabia a sacerdotes, afinal os detentores do Saber, estes estudos, e destes resultava a sua aproximação às divindades e ao Oculto. Teve o seu desenvolvimento máximo no período do Renascimento, nos séculos XV e XVI, paradoxalmente numa época em que a racionalidade é redescoberta por filósofos e artistas, mas que também é a da invenção do telescópio.
Búzios, folhas de chá, astrologia, tarot, I Ching, quiromância, numerologia, são algumas das formas mais conhecidas de artes divinatórias. Se, com enorme frequência, são usadas como forma de obter lucro à custa da ingenuidade e do obscurantismo, quando consideradas séria e altruisticamente, constituem caminhos sinceros para o contacto com o transcendente, aquilo que escapa à razão humana, também ela divina. São orações.

O Macrocosmos e o Microcosmos. Frontespício da Utriusque Cosmi Historia de Robert Fludd.

Na Internet existem muitos sítios relacionados com este tema. Quase todos se destinam à obtenção de lucro e estão carregados de publicidade paga e abusivas janelas pop-up. Outros, no entanto, tratam destes e doutros temas esotéricos com seriedade, pelo que penso que, independentemente da nossa(s) opinião(ões) acerca destes temas, existem motivos para serem visitados/ lidos com o mesmo respeito que procuramos demonstrar em relação a muitas outras coisas que nos são estranhas.
Nos sítios que se seguem, pode-se aprender um pouco acerca de algumas destas ciências (no sentido de áreas de conhecimento) e talvez (quem sabe?) de nós mesmos.

Mistérios Antigos - Mitologia dos Signos
Astro.com (interessante até por fazer cartas astrais especiais para crianças).
Tarô e Museu das Cartas de Jogar
Evolutio Rodurago
Também aconselhada a visita a Conclave Obscurum (barra lateral, OUTROS SÍTIOS), um dos sites de temática esotérica mais espectaculares e bem conseguidos em toda a WWW.
Sobre a Alquimia, ciência que antecedeu a Química moderna, sem dúvida, este: The Alchemy Web Site, sítio de onde provêm estes desenhos e onde há mais talvez umas centenas.
E, claro, há sempre boa e proveitosa informação na Wikipédia.


Alquimista com o seu forno. Fresco. Pádua, c. 1380



Para quem conseguiu ler isto até ao fim, fica aqui uma prendinha. Trata-se de um programinha engraçado de numerologia (a interpretação mística dos números e da influência que exercem nas nossas vidas e nos fenómenos naturais) que recebi há poucos dias atrás, via e-mail. Deve-se ter em atenção que a correspondência entre as letras e o valor numérico que lhes é atribuido varia consoante o tipo de alfabeto que se utiliza, daí resultando valores acentuadamente diferentes para o nosso alfabeto latino, por exemplo, e para o hebraico, base dos estudos cabalísticos que terão estado na origem desta ciência.
Infelizmente não sei quem é o autor para que os devidos louros lhe possam ser endereçados.

NUMEROLOGIA

Nota final: Um astrónomo explicou-me que a Astrologia, área de conhecimento anterior à Astronomia e percursora desta ciência, parou no tempo há cerca de dois mil anos atrás, sendo que as interpretações actuais são iguais às que já nessa época eram feitas. Ora, a posição relativa das constelações e da Terra alterou-se de então para cá. Disto resulta que estamos todos enganados em relação ao signo a que julgamos pertencer.

Comentários: 6

Anonymous tati:

Que tanga! Vê lá é se descobres um site com a chave do euromilhões!
:))

domingo, 05 novembro, 2006  
Blogger pedro leite ribeiro:

Vais ver o feitiço que te vou lançar...

domingo, 05 novembro, 2006  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba:

É engraçado isso... Sou completamente descrente de todas essas coisas, mas sou adepta da energia desprendida por cada criatura e da capacidade dessa energia para a geração de coisas boas ou más e pelo simples fato de que, se direcionarmos o pensamento para coisas boas e desejarmos e pensarmos coisas boas, mesmo que tais vontades não se realizem e se concretizem de fato, sempre haverá um certo bloqueio para que coisas ruins não se aproveitem de nossas falhas e lacunas deixadas em aberto... Claro, é algo difícil para mim explicar por esse meio e sem me alongar, sobre o que eu entendo de todos esses recursos, mas enfim, acho que tudo que serve para alimentar possibilidades de recuperção de auto estima, de bem estar, de auto confiança e de qualquer benefício em alguém, é sempre bem vindo. Não tenho religião e sou bem difícil de acreditar em tudo que envolve misticismos e religiosidades, mas aprendi a ler mãos pelo método quirológico e usei isso para brincar com meus alunos, no tempo em que dei aulas de história das artes. Com isso e me valendo de uma técnica matemática e capaz de de acertos, ajudava ainda que indiretamente, em algumas questões mais complicadas que por vezes eu percebia e com ares de brincadeira, deixava claro alguns riscos... Poucas foram as mãos que eu li, por ser algo mesmo bem demorado, mas das que fiz a leitura, acertei uma proporção muito elevada!!! Mas continuo colocando todas essas coisas na minha prateleira de laboratório químico!!!

Beijinhos e obrigada por todas as boas informações que sempre deixas aqui!!!

Bom domingo,
Cris

domingo, 05 novembro, 2006  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba:

Pedro...

Deixei lá uma resposta e agradecimentos pela tua ajuda fornecendo teu linck!!!

Obrigada pela força!!!
Beijo,
Cris

domingo, 05 novembro, 2006  
Blogger pedro leite ribeiro:

"se direcionarmos o pensamento para coisas boas e desejarmos e pensarmos coisas boas, mesmo que tais vontades não se realizem e se concretizem de fato, sempre haverá um certo bloqueio para que coisas ruins não se aproveitem de nossas falhas e lacunas deixadas em aberto..."
Isto não é magia?

segunda-feira, 06 novembro, 2006  
Blogger |3run0:

A astrologia e a astronomia originalmente eram uma só. Os antigos observavam o ceu, e notaram que as marés estavam relacionadas às fases da Lua, e que as estações estavam ligadas a posição do Sol no Zodiaco. Na época, era uma razoável acreditar que outras ligações existissem entre o Ceu e a Terra, como por exemplo entre os planetas e o destino humano (antigamente, planeta era a denominação de astros que mudavam de posição: O Sol, a Lua, Mercurio, Venus, Marte, Jupiter e Saturno). Hoje conhecemos bem o mecanismo físico que explica as marés e as estações, e não temos absolutamente nenhuma evidencia observacional ou mecanismo crível para toda a prosopopeia de signos etc. Mas a crença persiste no que é uma improvável mistura de misticismo babilonico com filosofia grega.

quarta-feira, 08 novembro, 2006  

Enviar um comentário

← Entrada

    Subir ↑