Santa Maria de Bouro


Santa Maria de Bouro - Mosteiro

"Quem vai para o Gerês, passando Amares e Figueiredo, quando a estrada começa a serpentear mais acentuadamente e o quadro da natureza a transformar-se no sistema dos montes que se avolumam e impõem cada vez mais sobranceiros, ora revestidos do tom verde-escuro dos pinheirais, ora descarnados a mostrar a ossatura gigantesca dos rochedos pelas eminências, descobre já à distância, a sobressair da profundeza do vale, a grande fábrica do Real Mosteiro de Bouro." Domingos M. da Silva, Entre Homem e Cávado, vol. II, 1959.
"Pondere-se bem que este é um dos lugares mais sacrossantos da Pátria, pela força dos tempos e das circunstâncias que, segundo a firme tradição, levaram o rei Fundador e os Portugueses do século XII, em arrancadas sublimes, de Ourique a Vale-de-Vez, uma vez que a política portucalense inesperadamente se agitou e saiu do marasmo a que parecia condenada nos paços de Guimarães.
Pela força dessas mesmas circunstâncias e dos lugares que foram teatro das primeiras manifestações de patriotismo e esforço guerreiro, Santa Maria de Bouro transcende em prestígio o de Santa Maria de Alcobaça." Domingos M. da Silva, Entre Homem e Cávado, vol. I, 1958.
Um dos postais mais bonitos da minha colecção, este da terra onde se encontram as minhas raízes. Não consigo perceber a data mas o selo é da 1.ª República (1 C.).

Comentários: 1

Blogger Mário de Sá Peliteiro:

Ainda hoje lá estive. Tenho uma casa lá perto...

[deixou-me um comentário mas não consigo encontrá-lo...]

segunda-feira, 29 janeiro, 2007  

Enviar um comentário

← Entrada

    Subir ↑