Mapa comprova que os portugueses descobriram a Austrália



Possivelmente o primeiro mapa da Austrália, do Atlas Vallard, 1547. Este é um dos mapas de Dieppe que mostra "Java le Grande", um continente que aparenta ser a Austrália. Cópia pertencente à Biblioteca Nacional da Austrália.



Parte do mesmo mapa rodado em 90º

Lembro-me de no meu tempo de Faculdade, um professor ter referido esta possibilidade, mas não sei já com que suporte factual. A explicação apresentada para o aparente desinteresse do Estado Português pelo território que viria a designar-se Austrália, e que no mapa agora encontrado se denomina "Terra Java", assentava no facto de se tratar de um território à primeira vista despovoado ou habitado apenas por populações com economias recolectoras, de extensão e recursos ainda desconhecidos, que não se integrava na política portuguesa da época que privilegiava o comércio das especiarias. O jornalista Peter Trickett, apresenta a tese, muito provável, diga-se, de a tradicional política portuguesa de sigilo ter obrigado a manter o descobrimento em segredo.
Segundo a notícia da Reuters, datada de 21 de Março último, trata-se de um mapa de 1547, feito a partir de um portulano, e pertencente ao Atlas de Nicholas Vallard, encontrado num cofre de uma biblioteca de Los Angeles (também a Califórnia foi descoberta pelo português João Rodrigues Cabrilho, ao serviço da Coroa Espanhola) que retrata em pormenor a costa Este da Austrália, nomeando em português e com grande exactidão vários pontos geográficos. Segundo o estudo do australiano Peter Trickett, publicado no livro "Além do Capricórnio", o navegador Cristóvão de Mendonça terá partido de Malaca ao comando de quatro naus com ordens para encontrar a "Ilha do Ouro" de Marco Polo e terá aportado em Botany Bay, Sidney, em 1522. Outras fontes referem que Cristóvão de Mendonça terá sido enviado em 1521 por D. João III em demanda de terras desconhecidas no Oriente, num esforço de antecipação à viagem de Fernão de Magalhães, iniciada no mesmo ano ao serviço de Espanha.
Ainda segundo Trickett, os cartógrafos estudiosos do Atlas Vallard não terão reparado que o mapa foi representado "ao contrário", isto é, com o Sul para cima, o que, de resto, era, à ausência de convenção, muito corrente nessa época. Assim, este estudo remete a descoberta da Austrália para 84 anos antes do holandês Willem Janszoon e 248 anos antes do britânico James Cook, reafirmando a tese defendida em 1895 por George Collingridge, em "Discovery of Australia".

Via, A Embaixada.

    Subir ↑