"Passivos" budistas!


A resposta definitiva dos monges de Burma (aliás, Birmânia, aliás, Myanmar) a todos aqueles que julgam e acusam os budistas de passividade, fatalismo, complacência e sabe-se lá que mais, intitulando-os até de "prisioneiros do karma" (!).
Tomáramos nós possuirmos metade da coragem destes homens que dedicam toda a sua vida à meditação, às orações e a ajudar os desfavorecidos e que, em nome destes, enfrentam neste momento aquela que é considerada a ditadura militar mais feroz da actualidade.
Via DIACRITIC.ORG

Comentários: 4

Blogger JPG:

Touché!

segunda-feira, 24 setembro, 2007  
Blogger Joshua:

Pertenço ao movimento pela libertação da activista por quem aqueles monges se batem há anos já: tem sido incrível como tudo permanece vergonhosamente na mesma.

Nestas questões, as instituições mundiais resignam-se à condição de república das bananas.

segunda-feira, 24 setembro, 2007  
Blogger Pedro Ribeiro:

Nem tanto, JPG: os monges birmaneses surpreenderam-nos a todos. O Dalai Lama já se solidarizou e pediu ao governo daquele país para não recorrer à violência contra a manifestação. As últimas notícias referiam serem tantos os manifestantes que era impossível estimar o seu número, dado que não se conseguia ver o fim da manifestação. Monges serão cerca de 30 mil. Também as freiras saíram à rua. Há 19 anos atrás, uma outra manifestação foi reprimida com um banho de sangue: três mil mortos.
Joshua: a "comunidade internacional", se é que isso existe, "observa". Palhaços! Temem afrontar o ogro chinês que tem, ao longo dos anos, aquecido as costas do governo delinquente de Myanmar.

segunda-feira, 24 setembro, 2007  
Blogger MiE:

100% por cento de acordo.

Tomara a humanidade ter os valores morais e sociais destes monges, tomara.

Masêm sido valentes a enfrentarem o regime...e o povo está com eles.


Um beijo aqui te deixo

terça-feira, 25 setembro, 2007  

Enviar um comentário

← Entrada

    Subir ↑