Os três mosqueteiros



No passado dia 16 fez cinco anos que George W. Bush, Tony Blair, José Maria Aznar e Durão Barroso decidiram nas Lajes o ataque ao Iraque (16 de Março de 2003). Hoje o Iraque não é mais que ruína, medo e morte. Durão afirmou mais tarde, sem arrependimento, ter o ataque sido decidido com base em informações erradas, mas todos nos lembramos dos repetidos relatórios de Hans Blix, chefe dos inspectores da ONU, a negar a existência no Iraque de armas de destruição maciça. Enquanto que nós, povinho insignificante, mal informado e sem sombra de qualquer poder de decisão, sabíamos onde se escondia a verdade, Durão e seus muito poderosos amigos declararam-se enganados. Curiosamente, em Novembro de 2004, Durão Barroso tornava-se presidente da Comissão Europeia e abandonava para sempre este mar turvo português no qual, um dia, quis ser um cherne. Face a tantas e tão maravilhosas coincidências, não consigo deixar de pensar que, afinal e como sempre, os enganados fomos nós.

    Subir ↑